quarta-feira, 27 de junho de 2012

#Miscelânea: Aventureiro alemão que viaja pelo mundo em moto, faz parada no AM.

"Fuçando" na internet, procurando algo sobre motociclistas aventureiros, vejam o que encontrei: uma sensacional história que achei que valia muito a pena compartilhar com quem ainda não leu.
Este corajoso alemão Tobias Dreissig de 29 anos, natural de Stuttgar resolveu dar a volta ao mundo em sua motocicleta de 125cc.
Realmente, como diria Lobo usando sua citação favorita: " Não há limites para aqueles que têm a capacidade de sonhar e transformar seus sonhos em realidade".



O alemão Tobias Dreissig, de 29 anos, natural de Stuttgart, escolheu parar em Manaus em sua longa jornada ao redor do mundo em cima de uma motocicleta. Ele começou a viajar em novembro de 2011, já passou por Ásia, África e Europa, e está pela primeira vez no Brasil. Na América do Sul já passou por Chile, Argentina, Bolívia, Peru, Equador, Colombia e Venezuela. Ele tem um próprio blog contando suas experiências durante a viagem.
Tobias sempre viaja com pouco dinheiro e leva consigo roupas e uma barraca, onde dorme na estrada. Ele conta que ao longo do caminho, muitas pessoas o ajudam com comida e estadia, mas na maioria do percurso, se vira como pode. "Encontrei gente que me ajudou muito, mas na maior parte do caminho, tive que procurar lugares mais isolados para acampar e contar com um pouco de sorte para comer", conta o alemão.
O aventureiro diz que gostou muito de Manaus, tanto que ficou na cidade mais que o planejado. "Queria passar uma noite aqui e acabei ficando uma semana inteira, apesar do calor é uma terra muito agradável", disse Tobias.
O motoqueiro segue na sexta-feira (30) rumo a Belém, no Pará, e de lá pretende ir até São Paulo sem fazer nenhuma parada. "Ainda tenho um amigo para visitar em Uberlândia (Minas Gerais). O objetivo original é ir de Belém à São Paulo sem parar mais, porém, se algo me chamar a atenção não hesitarei em descer da moto e tirar uma foto", contou ao G1.
Tobi, como gosta de ser chamado, diz que viajar pela América do Sul está sendo a parte mais emocionante e desafiadora de sua trajetória. "Quando disse aos meus amigos que iria passar por aqui eles acharam que eu estava louco, me contaram histórias horríveis, disseram que eu seria assaltado e poderia ser morto. Quando passei pela Venezuela, e agora no Brasil, que foram os lugares sobre os quais mais me contaram coisas horríveis, fiquei agradavelmente surpreso, pois encontrei gente hospitaleira, sempre disposta a ajudar e fiz muitos amigos", disse o aventureiro.
Tobias afirma que a busca pelo conhecimento o motivou a iniciar a viagem ao redor do mundo. "É impressionante o conhecimento que se adquire viajando assim, conhecendo pessoas, culturas, costumes, e povos completamente diferentes uns dos outros. Esse tipo de conhecimento não se aprende na faculdade", enfatiza o motoqueiro.
Dreissig pretende terminar sua jornada em setembro deste ano, com cerca de 28 mil quilômetros rodados, e voltar a sua vida normal, como funcionário de uma fábrica automotiva na Alemanha. "Preciso juntar dinheiro para fazer mais viagens como esta, por isso, quando voltar para a Alemanha vou voltar a minha vida normal, trabalhando e agora também escrevendo sobre minhas aventuras para uma revista", afirma Tobi.

A reportagem foi extraída do G1: http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2012/03/

Isso é que chamamos de espírito aventureiro nato! Tobias, sucesso nas suas próximas jornadas! Entendemos perfeitamente o que te move!

Forte abraço e boas estradas.

#Novidade:Americanos produzem moto em homenagem a Ayrton Senna.

A paixão por Ayrton Senna não está restrita ao público brasileiro, como mostra a última criação da oficina DP Customs. Localizada no Arizona, Estados Unidos, e especializada na customização de motos, a empresa produziu uma máquina em homenagem ao ex-piloto brasileiro. Chamada de "Defensor", o modelo se destaca por ter as cores do capacete do tricampeão mundial de Fórmula 1.


Segundo seus criadores, Senna foi "um de seus heróis, uma verdadeira lenda das corridas". Feita toda artesanalmente, a moto possui conjunto minimalista. As rodas raiadas são de aro 19" (dianteira) e 16" (traseira).
A traseira não possui suspensão e o amortecimento de impactos fica por conta de molas sob o pequeno assento. O motor utilizado é um bicilíndrico Harley-Davidson de 1.000 cm³.


Cores da moto são baseadas no capacete do ex-piloto.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

#Pedágio: é isso que penso.


Pessoalmente, acredito que uma cancela específica para motos seria essencial:

Em primeiro lugar, porque - teoricamente - seria mais limpa.
Nota-se que nas passagens  pelos pedágios o asfalto é muito sujo de óleo (que vaza dos caminhões e/ou carros de passeio) tornando a frenagem e o apoio dos pés do motociclista na hora de parar, um ´sabão´. Já vi derrapagens e motos caindo por causa deste problema. As concessionárias poderiam - no mínimo - lavarem, manterem limpas as passagens pelos caixas.

Além do óleo, se acumula areia nos cantos da passagem.
Acontece que para os carros as rodas ficam mais no meio da pista, portanto não há maiores problemas. Mas, as motos têm que encostar mais próximas ao ´meio-fio´ para poderem alcançar o dinheiro ao caixa sem incliná-las muito.

É aí que mora o perigo.
Pneu ou pé na areia também atraem escorregões.

Sem contar a hora de arrancar com a moto tracionando em cima do ´areão´.

Outro detalhe, são os apressadinhos que colam seus carros na moto para dar sinal de que estão com pressa. Quando não businam.

Temos que - na melhor das hipóteses - parar a moto, manter o equilíbrio, abrir o bolso (com luvas), pegar o dinheiro (com luvas), estender o braço pra dentro do caixa (mantendo o equilíbrio da moto), pegar o troco, guardar o troco no bolso, mesmo que nos esforcemos muito seremos mais lentos que um motorista. Mas, não há esta compreensão, portanto há a impaciência.

O ideal mesmo é como acontece em alguns pedágios do RS, Chile e da Argentina onde as motos, além de não pagarem, têm uma passagem exclusiva ao lado do pátio do pedágio.

É isso que penso.

Lobo-Confraria dos Lobos

#Garupando: São Bonifácio, SC.

Bom dia a todos! Finalmente, este último domingo nos brindou com um belo dia de sol e temperatura perfeita para dar uma volta de moto.
Primeira parada: Koxixos, lá revemos alguns amigos e fizemos outros, num bom bate papo em meio a motos de todas as cilindradas e das mais variadas marcas. Um verdadeiro encontro de motociclistas.









Em seguida, pegamos a estrada rumo a São Bonifácio, foi um passeio muito agradável. Embora eu não tenha lembrado de fotografar, almoçamos em um restaurante muito bom, que gostaríamos muito de recomendar: dei bobeira novamente: esqueci até o nome do lugar, risos. Bem, fica logo em seguidinha da Posada das Hortências, logo depois do portal da cidade, é de tijolinho a vista e tem um açude cem grande ao lado. Vou pesquisar o nome para colocar aqui.

São Bonifácio fica a 80 km de Florianópolis. Mesmo com a proximidade da praia, este município serrano tem um clima ameno. O destaque da região é o Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, que oferece algumas atividades como canoagem e caminhadas em trilhas com belas paisagens. O ecoturismo e a prática de esportes de aventura está começando na região, por isso é uma ótima opção para quem procura um turismo mais tranqüilo.
  














De volta a Floripa.

É um passeio, muito bom, vale muito a pena, a serra é muito bonita e a cidade uma gracinha. Fica a dica.
Forte abraço e boas estradas.
Edna-Mey - a Garupa.

terça-feira, 19 de junho de 2012

# Dicas: Moto difícil de pegar?


Retire a vela e encoste na carcaça da moto (não segure na vela) e dê partida e veja a faisca que deve ser forte e de cor azulada. Se a faisca estiver azulada ok, então o problema pode ser no carburador, se tiver avermelhada ou sem faisca, o problema é com bobina, cdi, pulsor, vela, bobina de faisca.

Primeiro teste:
Desconecte o cachimbo da vela, encoste o fio grosso na carcaça e dê partida, se tiver faisca então o problema é na vela, troque-a por uma nova. Se não tiver faisca vamos testar a bobina de ign que fica embaixo do tanque.

Bobina de ign teste: retire o fio preto/amarelo (honda) que tá encaixado na bobina de ignição (são dois fios, um verde que é o terra e outro preto/vermelho que vem do CDI), encoste esse fio preto/vermelho na carcaça e dê partida, se tiver faisca o problema é a bobina de ignição. Se não tiver faisca então iremos testar o CDI.

Teste do CDI (cdi – significa ignição por descarga capacitiva ou seja, um capacitor dentro do cdi é carregado e descarrega na bobina de ignição).
Veja o cdi se não tem algum fio desconectado, dê uma boa olhada nos encaixes, possíveis zinabres (crosta de cor esverdeada). Se tiver tudo ok, então desconecte o fio preto/vermelho (esse fio vem dos estator e é da bobina de faisca), encoste ele na carcaça do motor e dê partida e veja se tem faisca, se não tiver, então o problema é na bobina de faisca, mas se tiver faísca então só resta testar a bobina de pulso (pulsor).

Bobina de pulso: tem um fio azul/amarelo (honda) que sai também do estator (estator é onde fica os imãs e as bobinas na parte baixa do motor lado esquerdo), nesse caso você tem que ter um multitester. Mude a chave do multitester para homs e coloque uma ponta do multiteste no fio azul/amarelo e a outra ponta na carcaça para fazer “terra”, a resistência dever ser alta na faixa de 180 a 280 homs, se tiver baixa, substitua o pulsor.
Siga todas as instruções passo a passo e com certeza você vai solucionar o problema se ele for na parte elétrica.

Outra dica importante é que não pode ter faísca também por causa da chave de ignição com defeito, mau contato. São quatro fios, um vermelho, um verde, um preto e um preto/branco. O que nos interessa neste caso é o fio preto e branco que vem do CDI, desconecte-o e dê partida, se tiver faisca na vela então a ignição está com defeito, compre uma nova.

Por: João Novais Neto. Mecânico de motos.

Gostou da dica?
Boas estradas!!!!! 

terça-feira, 5 de junho de 2012

#Miscelânea: Nossa vida, nós colocamos para rodar e você?!

video

É isso aí!!! Vamos colocar a vida para rodar!!!! Vamos viver!
Forte abraço e boas estradas!!!!!

#Miscelânea - Campanha: Curta sua vida numa moto. Desacelere.




video


Estamos compartilhando este vídeo com você que também sente liberdade ao andar sobre duas rodas, com responsabilidade!
Curta sua vida numa moto. Desacelere.
Viva mais. Corra menos. Não seja apenas uma lembraça. Participe delas!!
Forte abraço!
Boas estradas!!!!

sexta-feira, 1 de junho de 2012

#Dicas: Vá de moto – As desvantagens e como contorná-las.


Indo direto ao assunto. Vou listar os principais mitos das Motos e abordar cada tema a seguir:

Motos não são seguras
Em dias de chuva não é possível andar de Moto
Motos não são confortáveis
É verdade que um grande número de pessoas não gosta muito da idéia de trocar o carro pela moto, e os motivos são muitos. Todos conhecem alguém que tem um primo que caiu e se machucou, ou uma tia que se ralou inteira quando era mais nova, ou em alguns casos, até conhece alguém próximo que se acidentou e teve conseqüências mais graves.

Esta “má-fama” que as motos têm é pelo motivo mais óbvio: motos não são carros. O piloto de motos realmente fica mais exposto nas motos do que nos carros. Isso faz com que algumas pessoas não tenham tanto interesse num primeiro momento, ou até mesmo repudiem a idéia como o diabo foge da cruz.

Uma moto, como eu disse anteriormente, é um veículo motorizado de duas rodas, capaz de oferecer conforto e segurança em velocidade de cruzeiro. Isso significa que motos são seguras sim! Acontece que as pessoas têm a mesma expectativa que tem com um carro, o que não é possível de se obter. Em um carro, se o motorista abusa da velocidade, ou comete algum erro com os comandos, ele está “protegido” pela lataria do carro, que uma moto obviamente não oferece, porém, devemos observar que a moto é muito mais leve do que o carro, consequentemente, é muito mais ágil aos comandos do piloto, além disso, o piloto tem uma visão panorâmica de toda a via, enquanto que dentro do carro, o motorista tem uma visão muito limitada. Isso é muito importante pois evita uma grande quantidade de acidentes.
Além disso, o Motociclista deve andar em sua moto com os equipamentos de proteção adequado. Esqueça os motoboys que entregam pizza no seu bairro com bermuda e regata. Esta não é a roupa para andar de moto. Se estiver usando esta roupa e cair, com certeza irá se machucar, mas, se estiver usando as roupas apropriadas, dificilmente você terá algum dano.

O equipamento de proteção realmente é eficiente. Uma boa jaqueta com proteções nos ombros, cotovelos e costas, uma boa calça com proteções nos joelhos, um bom par de luvas e botas e um bom Capacete garantem que você não irá se machucar no caso de um acidente.

Veja por exemplo no MotoGP. As motos atingem 300 km/h nas corridas, e é comum ver pilotos caindo e se acidentando, mas o excelente equipamento deles garante que eles saiam andando depois de um tombo destes. É claro que para o uso cotidiano, este equipamento é completamente inviável, mas existem conjuntos mais simples que podem ser usados no dia-a-dia, que apresentam boa proteção contra impactos e ainda oferecem vantagens como Impermeabilidade e manto térmico, que garantem que você possa até tomar chuva e andar em dias frios com conforto.

Eu já caí algumas vezes com a moto, mas nunca me machuquei, pois estava bem equipado.

O outro ponto que as pessoas tem como argumento é a chuva. Este é um problema de duas frentes: uma é o conforto (ninguém quer se molhar, não é mesmo?) e outra é a segurança. Na chuva, o asfalto fica mais escorregadio, e aumenta o número de acidentes com motos. O piloto deve ter a atenção redobrada, pois não pode frear bruscamente. A moto também deve estar em boas condições de manutenção, os pneus devem estar dentro da vida útil. Observados estes itens, não tem segredo, é perfeitamente possível se deslocar de moto na chuva. Porém, algumas pessoas acham aquelas capas de chuva desconfortáveis, ou mesmo feias. É verdade. Estas capas de chuva mais simples, além de horrorosas, são desconfortáveis, não cumprem seu papel de proteger o piloto. A solução é comprar um kit de melhor qualidade. Existem jaquetas e calças impermeáveis, com proteções para ombros, cotovelos e costas, que são bonitas e podem ser usadas tanto em dias secos quanto em dias chuvosos, pois te protegem do frio também. É menos uma coisa pra você carregar na moto, afinal, você já vai estar vestido com ela!
Normalmente estas jaquetas possuem um forro térmico, que serve para te proteger do frio, mas que pode ser retirado em dias quentes. Assim você fica protegido de tombos, de uma eventual chuva no fim da tarde, e não fica passando calor.

Como pode ver, a segurança e o conforto nas motos depende muito mais do piloto e do equipamento do que da moto em si. O carro, por ser fechado, já oferece isso por natureza, mas é possível obter esta proteção na moto, basta pilotar com prudência. Assim, terá todas as vantagens da moto sem as desvantagens irremediáveis do carro.

Fonte: http://www.motosblog.com.br/22/


Gostamos do texto e compartilhamos com você. Bom saber que não somos os únicos a reforçar sempre a questão da segurança e para tal a necessidade de usar bons equipamentos, afinal, são eles que farão toda a diferença em caso de acidente.
Usamos a linha completa de equipamentos da Lookwell em nossas viagens e recomendamos.
Ainda não conhece os produtos e a marca? Visite: http://www.lookwell.nl/products.html
Ficou interessado? Faça contato conosco.

Forte abraço e boas estradas!
Edna e Lobo.

Forte abraço e boas estradas!